Corvos

CorvoCorvus corax 2 300x199 Corvos

Se você acha que aquele idiota do seu poodle pode ser considerado um bicho inteligente só porque ele senta e finge de morto, prepare-se pois hoje versarei sobre uma espécie verdadeiramente brilhante, o corvo.

O reino animal é, em sua vasta maioria, bastante burra. O polvo, dentre os parametros biologicos, é considerado um animal “inteligente” pelo simples fato de que ele consegue executar tarefas como abrir um pote de palmito com seus tentáculos. Já o ser humano, pelo que se sabe, é o bicho mais inteligente de todos, o que pode parecer muito mas, se a gente for parar para pensar, não é nada demais.

O corvo não é nenhum ser humano, mas é bem mais inteligente que um polvo. Um dos grandes indícios de inteligência é a capacidade de usar ferramentas, e o corvo sabe fazer isso com uma destreza surpreendente. Ele não só usa gravetos para caçar comida, como os dobra para transforma-los em ganchos. Os corvos também conseguem compreender que, melhor que comer um pedaço de pão, é usá-lo como isca para pescar peixes com seus bicos. Imagina o tipo de raciocínio a longo prazo que o bicho precisou elaborar para chegar a tal conclusão: “bom, esse pedaço de pão é gostoso e nutritivo, eu posso enfiar ele na minha boca e pronto, por outro lado, não sou só eu que gosto de pão, todo mundo gosta de pão, inclusive peixes, que são mais gostosos e nutritivos que esse miolinho. Então, talvez, eu possa usar esse pão não para satisfazer minha fome diretamente, mas para atrair um peixe que, ao chegar perto de mim em busca de comida (já que ele é burro o suficiente para não entender minhas segundas intenções) acabará sendo fisgado pelo meu bico assassino. Dessa forma, ao invés de pão eu como um peixe, o que é um prognóstico realmente interessante”.

corvo 300x296 Corvos

Gênio!

Os corvos japoneses descobriram que as nozes podem ter sua casca quebrada quando um carro passa por cima delas. Com isso, eles bolaram a seguinte estratégia: primeiro eles derrubam um tanto de nozes na faixa de pedestres de uma rua. Aí eles descem e assistem aos carros passando por cima delas. Finalmente, eles esperam o sinal vermelho, atravessam a rua catando as nozes abertas. Veja bem, o corvo chega ao ponto de saber o que significa um sinal vermelho. Vamos combinar que é muito mais do que seu poodle é capaz de fazer.

poodle 300x225 Corvos

Burro!

Em um quesito, ao menos, os corvos são mais inteligentes que nós. Enquanto os humanos são incapazes de reconhecer os rostos de cada corvo, os corvos conseguem diferenciar cada ser humano por suas características faciais. Isso é extremamente útil para eles, que convivem conosco em cidades e vilarejos. Quando um ser humano cuzão se aproxima de um corvo, ele grita para os outros corvos: “Aquele filho da puta está vindo, se escondam”. Ao mesmo tempo, os corvos sabem muito bem quem atacar, quando necessário. Eles costumam bicar velhinhas e crianças que estão tirando o lixo de casa, em busca de comida dentro da lixeira, mas evitam bicar homens adultos e saudáveis, pois sabem que poderão levar a pior.

Corvos são animais de estimação comuns no Japão e em outros países asiáticos. Eu adoraria ter um corvo morando na minha casa, exceto pela parte de que ele ainda não é inteligente o bastante para não defecar em cima do meu tapete. De qualquer forma, o corvo é um bicho muito louco.

brandon lee jacket 1 300x210 Corvos

Eu certamente não estou falando de você, Brandon Lee

1 Comentário

    Minha tia tem uma passarinha do tipo tiriba (um psitacídeo pequeno, menor que uma maritaca, e que não fala), e a bichinha é treinada pra fazer cocô quando minha tia manda… (exceto no puleiro, puleiro é zona livre) E se minha tia esquece que a passarinha está no ombro dela e fica um tempo grande sem mandá-la fazer cocô, ela resiste e não faz. Nunca fez numa pessoa, nem num tapete da casa, nem nada. Só no puleiro ou sob ordens (o que em geral é num vaso de plantas, privada ou gramado).

    Se uma miniatura de papagaio consegue, é bem possível que um corvo consiga…

    Isso sem contar um papagaio cinza que aprendeu conceitos complexos como “cor” e “forma”. Num laboratório de pesquisa, claro (não com a minha tia). Vc apresentava objetos para ele e perguntava “o que é igual entre eles?” e o bicho respondia “cor”, “o que é diferente?” “forma”. Ele também agrupava os objetos conforme cores ou formas, contava rudimentarmente e ainda ensinava os outros papagaios a pronunciar as palavras do jeito certo. Embasbacante.

Deixe um Comentário